Liberação miofascial


A liberação miofascial é uma técnica de estiramento utilizada por terapeutas manuais com a intenção de "soltar" e relaxar a fáscia muscular, que é uma camada fina de tecido que reveste todos os músculos do nosso corpo. O terapeuta necessita da interação com o paciente, pois através dele o terapeuta determinará qual a duração e força será necessário na manobra.


Enquanto o terapeuta realiza a liberação miofascial, é necessário que ele perceba pelo toque a tensão que existe no músculo e fáscia do paciente, para que não realize manobras demasiadas em locais desnecessários. A percepção de tônus muscular, fisionomia, respiração e outros comportamentos do paciente é muito importante para continuar realizando a conduta terapêutica. Com a experiência com a realização da técnica, o terapeuta começará e deverá reconhecer as possíveis restrições que aquela determinada unidade miofascial possui, fazendo com que volte a sua homeostase natural e previna futuras lesões musculares. Quando localizado, o terapeuta irá realizar a manobra no local, que normalmente é com uma pressão forte, lento e profundo. Pode utilizar ferramentas para facilitar esse processo, como: rolos, bolas, cotovelo e etc.


A técnica da liberação miofascial não é protocolada, o terapeuta terá que sentir as necessidades do paciente. Para isso acontecer melhor, o paciente e terapeuta precisam ter interação e cooperação no tratamento. A sessão não é planejada previamente. Pode ser utilizado em quase todas pessoas, porém possui algumas restrições absolutas, como: pacientes hemodinamicamente instáveis, fraturas, bebês, cortes e outras limitações que o terapeuta perceber ser prejudicial.


O objetivo da liberação miofascial é ter uma melhor interação entre a fáscia e músculo, criando uma mobilidade melhor do músculo tratado, previnir lesões musculares, aumentar o suporte sanguíneo, recuperação muscular mais rápida e diminuição de dores. Com isso, conseguimos obter um rendimento melhor no esporte, tratamento de fibroses e uma interação músculo-esquelética melhor em pacientes que a realizam.


Escrito por Leonardo Romeu Neto


Liberação miofascial