Bergqvist Massagem e Treinamento
Bergqvist Massagem Logo

Início

Cursos de massagem

Cursos no interior

A escola

Massagem sueca

Método Lotorp

Professores

Fotos e videos

Depoimentos

Contato

Links

Clínica de massagem

Artigos sobre massagem

Massagem na empresa

Anatomia

Nervos

Músculos

Articulações

Esqueleto

Terminologia

Massagem relaxante

O trabalho do músculo

O que é estresse

Lesões

Alongamentos

LER

Inflamação

Massagens Terapêuticas

Massagem para dor de cabeça

O que é massagem?

Mercado para massagistas

Legislação para massagistas

Porque fazer alongamento

Massagem para dores nas costas

A importância do toque

Massagens relaxantes

Dores nas costas

Medicina Chinesa

Clínica de massagem

Massagem em Natal

Tratamentos

Medicina desportiva

Ayurveda

Manobras relaxantes

Curso fisioterapia

Gestantes

Cursos de massagem RJ

Blog de massoterapia

Sitemap




Dores nas costas o que pode ser?

Se tiver interesse em agendar uma sessão de massagem para dores nas costas, clique aqui.


A maioria das pessoas que têm problemas nas costas sente dores de vários tipos. É bastante comum em adultos, mas muitas vezes as dores já começam na adolescência. Quase todas as pessoas já sentiu ou vai sentir dores nas costas. A maioria das pessoas já ficou ou vai ficar com problemas de movimento por causa das dores. Felizmente, a maioria das dores nas costas melhora espontaneamente. Cerca de 70% das pessoas curam-se em até duas semanas; 20% melhoram em dois meses. Só alguns poucos indivíduos ficam com problemas crônicos nas costas. E menor ainda é o índice de quem tem alguma doença perigosa, tumor ou câncer na coluna. Normalmente, a dor não é perigosa. Mas, é claro, é sempre melhor verificar com um médico especializado. Visto que muitas das pessoas que sofrem de dores nas costas têm idade para trabalhar, problema nas costas é uma das causas mais comuns de ausência no trabalho e aposentadoria precoce. Os gastos da sociedade com dores nas costas são enormes. Às vezes, com boas dicas caseiras e tratamentos leves, podemos diminuir muito estes gastos e melhorar a qualidade de vida das pessoas. As causas mais comuns de dores nas costas são:


Cansaço nas costas

Significa que a pessoa sente fraqueza e cansaço na musculatura, com poucos ou nenhum problema detectável nos exames. A fraqueza pode piorar, sem ferimentos, acidentes ou pancadas. Normalmente, a causa é a falta de treino ou recursos de condicionamento físico, o que faz com que o músculo não renove o oxigênio suficientemente bem, levando aos processos químicos (errados) dentro da musculatura. O mais famoso é o acido láctico. Por causa destes processos químicos, o corpo responde com dores, que são um aviso à pessoa para diminuir o ritmo ou mudar de atividade.

Causa:

  • Trabalhos ou posições monótonas.
  • Situação de trabalho, não gostar do que está fazendo, falta de motivação.
  • Inatividade e falta de condicionamento físico, que levam à musculatura fraca e postura ruim. A musculatura fraca tem que trabalhar acima da sua capacidade e, por isso, produz acido láctico e outros resíduos.
  • Falta de ergonomia no lugar de trabalho ou falta de conhecimento ergonômico.

Sintomas:

  • Dores nas costas constantes, sem irradiação.
  • Cansaço quando tem que levantar algo pesado ou em posturas estáticas forçadas.
  • Inflexibilidade de manhã quando acorda.
  • Dores mais fortes depois de uma caminhada ou trabalho mais pesado.


O melhor jeito de se livrar de cansaço nas costas é evitar trabalhos monótonos e posturas forçadas. Caminhadas leves diárias e outras atividades físicas também ajudam, começando sempre mais leve e aumentando a atividade, sem deixar doer ou piorar a dor. Alongamento, aulas de yoga, pilates ou fisioterapia podem fazer muito bem. Massagem costuma aliviar ou tirar as dores, limpando as musculaturas das toxinas e fornecendo novo oxigênio e nutrientes. Também é importante melhorar a ergonomia no trabalho ou nas atividades que está fazendo.


Lombalgia Agudo

Um reflexo ou reação de defesa de um ferimento nas costas, o lombalgia agudo é popularmente chamado de travar as costas. Na maioria das vezes, acontece porque a pessoa não levou a sério as dores anteriores que teve nas costas. É mais ou menos assim: a musculatura nas costas está cansada e dolorida por causa de sobrecarga, mas a pessoa não respeita as dores e continua. Até que chega um momento em que as costas não agüentam mais e travam, como defesa da coluna vertebral e para a pessoa parar de fazer força. Lombalgia não é um diagnóstico, mas um sintoma que aparece como dores fortes na região lombar. Quando a dor surge, inicia-se uma cãibra muscular na região e a pessoa não conseguem ficar em pé. Após um tempo, começa melhorar. Às vezes a dor desce para as nádegas, outras vezes até a coxa. Normalmente, esta dor, acaba sozinha depois de quatro ou cinco dias com descanso ativo. Caso contrário, é preciso procurar um médico. A Lombalgia é dividida em: forma aguda, subaguda e crônica. A aguda é repentina e com muita dor, que impossibilita o movimento temporariamente. A subaguda é mais sorrateira, aumenta lentamente e a dor e menor. A crônica dá dores constantes com duração de até dois meses.

Causa:

  • Rompimentos completos ou parciais de músculo ou tendão.
  • Efeitos de mudanças degenerativas nos discos ou articulações das costas.
  • Estruturas presas nas articulações das costas.
  • A articulação sacro-ilíaca está presa.
  • Trigger points ativos (pontos de gatilho).
  • Músculos prováveis de ter cãibra: Eretor da espinha, Quadrado do lombo, Iliopsoas e os Oblíquos do abdôme.
  • Hérnia de disco.

Sintomas:

  • Na maioria das vezes, um espasmo muscular forte com fortes dores mesmo quando se movimento pouco.
  • Dores constantes por causa da isquemia no músculo que está com cãibra.
  • Postura torta, a cãibra impossibilita a pessoa de ficar reta. Impossível fazer as tarefas do dia a dia.


Para tratar a lombalgia a pessoa precisa descansar no início. O melhor jeito é a posição de psoas, que quer dizer, deitar de costas, com as pernas apoiadas, de forma que o quadril e as pernas formem um ângulo de 90 graus. Deitar no chão com as pernas numa cadeira funciona muito bem. Descanso ativo é importante para estimular a circulação na musculatura. Você pode mexer as pernas levemente para frente e para trás e para os lados, o que vai dar um movimento pequeno na coluna. É importante que a pessoa não fique deitada vários dias na cama, porque assim a tendência é piorar os sintomas. Alongamentos leves podem ajudar a aliviar as dores. Quando as dores são muito fortes, a pessoa pode tomar relaxantes musculares, mas é importante consultar o médico primeiro. A massagem pode ser feita, mas é melhor esperar pelo menos dois dias ou depois que o médico autorizar o tratamento. Inclusive, é difícil acomodar a pessoa na maca para uma massagem no primeiro dia de lumbago agudo. Muitos pacientes ficam com muito medo quando acontece a crise, o que piora ainda mais os sintomas. Acalmar a pessoa e acomodar numa posição onde não sente tanta dor já é um ótimo tratamento.


Lombalgia Crônica

A maioria das pessoas com lumbago crônico melhora sozinha mesmo sem tratamento. Em cerca de 10% dos casos os problemas são mais difíceis de tratar. Nos casos em que o problema não melhora, é preciso buscar causas com ajuda médica especializada. Pode ser um tumor ou inflamação forte. É difícil diagnosticar dores nas costas e as causas do problema são, na maioria das vezes, vagas e difíceis de descrever. A dor é uma experiência psicológica impossível de medir. Uma pessoa pode ser mais sensível a dores do que outra, dependendo de como o cérebro interpreta o que está acontecendo no corpo. Na maioria das vezes, o terapeuta faz uma avaliação dos comportamentos e do histórico do cliente. Outros fatores importantes são diferenças culturais e sociais, problemas psíquicos, etc. É claro que, muitas vezes na medicina, com testes avançados, é possível verificar um problema visível como hérnia de disco ou desvio na coluna. Mas na maioria das vezes as dores existem mesmo que nada conste nos exames. Profilaxia, fisioterapia e acompanhamento médico são importantes para a pessoa com lumbago crônico poder voltar às atividades normais e cuidar de si mesma no dia a dia. Quanto mais tempo a pessoa fica na inatividade, mais difícil será curar as dores e fazer a pessoa voltar às atividades. Para tratar o lumbago crônico é importante lembrar-se da ergonomia das tarefas executadas, e talvez seja necessário investir em novo e melhor equipamento. Fazer exercícios para fortalecer a musculatura nas costas também é importante, mas de preferência com o acompanhamento de um especialista para ter certeza de que a atividade faz bem, treino errado pode piorar os problemas. Os aspectos psicológicos de motivação e inspiração também devem ser levados em conta, é fácil a pessoa desistir. A massagem pode ser muito boa para desfazer cãibras e aumentar a circulação sanguínea na área afetada.


Lombalgia Ischias

O nervo Ischiadicus, conhecido como nervo ciático, irradia dores para as nádegas ou para as pernas.

Causa:

  • Hérnia de disco que não foi tratada ou primeiros sintomas de uma hérnia em formação.
  • Mudanças degenerativas na coluna vertebral, como osteófitos (bico de papagaio) ou estenose (estreitamentos anormais).
  • Tumores, sangramentos, inflamações.
  • Musculatura glútea inflexível e curta, com trigger points (pontos de gatilho) ativos.
  • Desvios no quadril.

Sintomas:

  • Dores na lombar com irradiações para as nádegas, coxas, pernas ou pé. As irradiações podem ser numa perna ou nas duas.


Problemas com o nervo ciático devem ser diagnosticados por um médico para o paciente ter certeza de que não é nada grave. A massagem nas nádegas e, principalmente, no músculo piriforme pode aliviar as dores dependendo da causa delas. Se a origem da dor é uma hérnia de disco, não adianta tratar com massagem. Mas se a musculatura estiver pinçando o nervo, aí a massagem pode aliviar as dores.


Hérnia de disco

Hérnia de disco é um rompimento total ou parcial do anel fibroso que leva ao vazamento do núcleo pulposo, podendo gerar um calo que pressiona a medula espinhal ou as raízes dos nervos. Hérnia de disco é mais comum na lombar por causa do maior peso em cima dos discos.

Causa:

  • O disco intervertebral é a maior estrutura vascular do corpo (não recebe sangue diretamente). Por isso, é exposto a sofrer enfraquecimento, pode ressecar e romper. Ele também é uma das estruturas do corpo que têm mudanças degenerativas cedo, já podendo começar a se formar na adolescência.
  • Posturas forçadas, trabalhos monótonos ou levantar pesos erroneamente, torções violentas, acidentes ou trabalhos pesados executados de forma errada.
  • Na maioria das vezes é um tipo de flexão/rotação no lombar que desencadeia a hérnia de disco.

Sintomas:

  • Dependendo de como e onde o disco se rompe, os sintomas são diferentes.
  • Dores que irradiam ou perdas neurológicas como sensibilidade, motora ou reflexos.
  • Restrições motoras, por causa das dores.
  • Às vezes com paralisia e dificuldades de urinar.
  • Dores centrais nas costas quando tosse, espirra ou faz força abdominal (por exemplo, quando faz cocô).
  • Dores quando faz os testes Lasègues ou Valsalva (levantando a perna, o que estica os nervos lombares).


É sempre bom verificar com o médico se a massagem pode ajudar. Treinos, atividades, ou tratamentos errados podem piorar o problema. Existem centenas de variações de hérnias, algumas são leves, outras mais fortes. A dor pode aparecer diferentemente em cada pessoa, dependendo do grau e de onde a hérnia está pinçando o nervo. Simplificando, as sintomatologias e irradiações são as seguintes:

Hérnia de disco no L3 e L4

  • Dores anteriormente nas coxas, menor sensibilidade anteriormente na coxa e na perna.
  • Fraqueza no músculo quadríceps femoris e reflexo patelar enfraquecido.


Hérnia de disco no L4 e L5

  • Dores e menor sensibilidade lateralmente na coxa e dores e menor sensibilidade lateralmente e anteriormente na perna e no dorso do pé.
  • Paralisia nos extensores dos dedos e na musculatura fibularis longus e fibularis brevis.


Hérnia de disco no L5 e S1

  • Menor sensibilidade posteriormente e lateralmente na perna e na lateral do pé.
  • Paralisia no músculo Tríceps Surae e nos flexores do pé.
  • Falha no reflexo do tendão do calcâneo.


Hérnia de disco no S2 e S4

  • Estes nervos fornecem contato com a pele medialmente na coxa em volta do ânus.
  • Falha nos reflexos do ânus.


Para tratar com massagem pessoas que tenham hérnia de disco, elas precisam ser avaliadas e autorizadas por um médico especialista. Quando as dores impossibilitam atividades necessárias para viver como dormir, andar ou fizer xixi é feita uma cirurgia. Quando os sintomas são mais leves, os médicos costumam prescrever descanso e remédios analgésicos. A massagem pode, dependendo da hérnia de disco, ajudar como complemento, diminuindo a dor e melhorando o bem estar. Muitas pessoas têm hérnia de disco, mas não sabem porque o problema não incomoda. Mas como a hérnia de disco diminui a qualidade de vida e impossibilita atividades necessárias, qualquer melhora é bem vinda. Estes pacientes procuram de tudo para melhorar as dores: acupuntura, medicamentos, exercícios, atendimentos espirituais, massagem, pilates etc. A massagem pode aliviar. Mas sempre é importante começar com muito cuidado e de forma bem leve para avaliar o resultado.