Lesões no esporte


No esporte as lesões são um grande problema para os atletas e também custam muito caro aos clubes por causa da longa recuperação. Nos hospitais, é comum atender muitas pessoas com lesões causadas pelo esporte. Se cuidarmos das lesões mais comuns de uma forma correta no momento em que elas ocorrem, as vantagens são muitas. É possível diminuir a freqüência de lesões com a ajuda de métodos simples e baratos.


Lesões causadas por você mesmo. Muitas vezes a gente lê no jornal sobre times de esportes variados ou atletas que têm complicações na recuperação de lesões. Mas isso é azar? Se você estudar porque as lesões ocorrem e porque os atletas são forçados a descansar e a não praticar esporte como reabilitação, você começa a entender que não é simplesmente uma questão de azar. Na verdade, se você for ver, a maioria das lesões no esporte é causada pelo próprio atleta.


Uma lesão comum geralmente ocorre devido a um treino errado, que acarreta na sobrecarga do atleta. Por causa disto ele sente dores, mas continua a treinar com a esperança que elas vão passar. Às vezes, dá sorte. A recuperação por parte do próprio corpo é suficiente. Mas na maioria das vezes, a dor aumenta e o atleta fica forçado a parar com o esporte por um tempo e a descansar. Em alguns casos, a pessoa precisa de cirurgias ou não pode nunca mais praticar o esporte.


Quando o atleta tem dores no joelho, adutores, tendões, periósteo, etc. sem uma razão exterior, a causa geralmente é uma situação que surgiu porque ele se sobrecarregou, o que levou a uma inflamação. A dor é um alerta do corpo de que algo não está bem. Se a pessoa não escuta o alerta e continua a exagerar no treino, é possível contrair várias lesões causadas por ela mesma. Na maioria das vezes, poucos dias de descanso são suficientes para a inflamação melhorar, se o atleta parar a tempo.


Também temos que levar em conta que o que é bom para uma pessoa, às vezes não é bom para a outra. Para um atleta de elite de 25 anos, é preciso um tipo de treino diferente daquele para um jovem de 12 anos que acabou de começar. É importante treinar para o futuro, pensando em qual a meta com o treino. Uma regra básica é a de não aumentar o treino mais de 15% em um ano. Para poder comparar ao longo dos anos, é necessário fazer um diário de treino, anotando os exercícios desempenhados.


Também é importante não fazer manobras perigosas no treino. A pessoa só pode fazer o que consegue. Certas manobras não são perigosas para um ginasta, porque ele domina o que faz. Mas uma pessoa comum, pode colocar a sua vida em perigo com a mesma manobra.


Botinha para lesão de esporte